fbpx

Neurogênese: O exercício físico mantém o cérebro jovem, criando novos neurônios

Você sabia que podemos produzir novos neurônios em nosso cérebro?

Esse processo chama-se neurogênese. Antigamente acreditava-se que os neurônios eram produzidos apenas nos estágios iniciais do desenvolvimento embrionário. Porém, em 1962, Joseph Altman publicou um relatório na Revista Science (uma das mais conceituadas revistas científicas do mundo), onde demonstrou as primeiras evidências de que o mamíferos adultos podem formar novas células nervosas, ou seja, neurônios (1).

Em 1983, o Argentino Fernando Nottebohm e o americano Steven A. Goldman descobriram que, quando canários adultos precisam aprender novas canções, eles desenvolvem novos neurônios. Estes primeiros estudos fizeram surgir um otimismo no sentido de que poderíamos um dia, recuperar lesões cerebrais ou tratar deficits neurológicos, mas tais pesquisas ficaram esquecidas por um tempo (2). Somente no início da década de 1990, a reparação do tecido cerebral de mamíferos ganhou impulso com a descoberta de que o cérebro do camundongo adulto continha células-tronco que, se induzidas, poderiam proliferar in vitro pela adição de fatores de crescimento (9).

Desde então novos estudos concluíram que a neurogênese também acontece em outros animais como macacos (3) ou humanos (4), ocorrendo em regiões específicas do cérebro, em especial no giro dentado do hipocampo e no bulbo olfatório (5, 6).

Mas o que neurogênese tem a ver com exercício físico?

Estudos realizados pelo Laboratório de Neurobiologia Computacional do Instituto Salk para pesquisas biológicas, na Califórnia sugerem que podemos produzir novos neurônios através da atividade física. O estudo de van Praag e colaboradores comparou dois grupos de camundongos. Um grupo ficou alojado com uma roda de corrida (corredores) e o outro sob condições padrão (grupo controle). Neste estudo foi avaliada a aprendizagem espacial dos camundongos através de um labirinto, onde os ratos corredores tiveram um melhor desempenho para resolvê-lo do que os ratos do grupo controle. O estudo também avaliou a Potência de Longa Duração (LTP), que é a melhoria da força sináptica entre neurônios. Verificou-se através de fatias do hipocampo que a LTP também sofreu incremento no grupo de corredores, concomitante à neurogênese aumentada.

Em resumo, estes resultados sugerem que a atividade física pode melhorar a produção de novos neurônios, a plasticidade sináptica e a aprendizagem (7).

Em outro estudo, realizado pela Universidade de Jyväskylä, Finlândia, foram comparados os efeitos do exercício aeróbico (corrida na esteira), o HIT (treinamento intervalado de alta intensidade) e o exercício resistido (levantar peso) na neurogênese. O primeiro grupo corria 30 minutos por dia, 3 vezes por semana, o segundo grupo fazia corridas em intensidade máxima com intervalos onde diminuíam a velocidade e o terceiro subia escadas com uma sobrecarga amarrada no corpo. Este estudo concluiu que o exercício aeróbico aumenta a neurogênese nos ratos, mas o HIT e o exercício com peso não produzem diferença significativa. Os autores ainda comentam que o HIT e o Exercício Resistido causam mais estresse, o que pode ter causado a inibição da neurogênese nos ratinhos (10).

Mas e em Humanos?

Mais estudos ainda necessitam ser feitos para termos certeza dos efeitos da atividade física na produção de novos neurônios no Hipocampo humano e, principalmente se a neurogênese pode auxiliar na recuperação de lesões no cérebro ou outros problemas neurológicos. Entretanto, é sabido que a Neurogênese acontece em humanos (4). Tal processo pode acontecer de maneira parecida em todos os mamíferos. Em entrevista dada ao El País, o Professor Terrence Sejnowski, um dos autores do estudo realizado na Salk Institute, afirma que a atividade física é a melhor forma de manter nosso cérebro mais jovem (11). Sejnowski dirige o Laboratório de Neurobiologia Computacional do Instituto Salk e é uma das maiores autoridades neste assunto.

Tendo em vista todos os benefícios do exercício físico, já comprovados cientificamente, sabendo que uma vida ativa também pode te levar à melhorias na função cerebral, concentração, memória e talvez até prevenir distúrbios como o Alzheimer. É, Vale a pena se manter ativo! E lembre-se, não deixe ninguém te enganar!

Fontes:

1. Altman, J. (1962). Are new neurons formed in the brains of adult mammals? Science, 135(3509), 1127–1128. https://doi.org/10.1126/science.135.3509.1127

2. Goldman SA, Nottebohm F. Produção neuronal, migração e diferenciação em um núcleo de controle vocal do cérebro canário feminino adulto. Proc Natl Acad Sci EUA . 1983; 80 (8): 2390-4.

3. Kornack, D. R., & Rakic, P. (1999). Continuation of neurogenesis in the hippocampus of the adult macaque monkey. Proceedings of the National Academy of Sciences, 96(10), 5768–5773. https://doi.org/10.1073/pnas.96.10.5768

4. Eriksson, P. E. S. E., Erfilieva, E. K. P., Riksson, T. H. B. J., Lborn, A. N. N. A. A., Ordborg, C. L. N., Eterson, D. A. A. P., & Age, F. R. E. D. H. G. (1998). Eriksson1998, 4(11), 1313–1317. https://doi.org/10.1038/3305

5. Gage, F. H., Kempermann, G., Palmer, T. D., Peterson, D. A., & Ray, J. (1998). Multipotent progenitor cells in the adult dentate gyrus. Journal of Neurobiology, 36(2), 249–266. https://doi.org/10.1002/(SICI)1097-4695(199808)36:2<249::AID-NEU11>3.0.CO;2-9

6. Goldman, S. A., & Luskin, M. B. (1998). Strategies utilized by migrating neurons of the postnatal vertebrate forebrain. Trends in Neurosciences, 21(3), 107–114. https://doi.org/10.1016/S0166-2236(97)01191-

7. van Praag, H., Christie, B. R., Sejnowski, T. J., & Gage, F. H. (1999). Running enhances neurogenesis, learning, and long-term potentiation in mice. Proceedings of the National Academy of Sciences, 96(23), 13427–13431. https://doi.org/10.1073/pnas.96.23.13427

8. Reynolds, B. A., & Weiss, S. (2016). Generation of Neurons and Astrocytes from Isolated Cells of tiss Published by : American Association for the Advancement of Science Stable URL : http://www.jstor.org/stable/2876641 JSTOR is a not-for-profit service that helps scholars , researchers , and students discover , use , and build upon a wide range of content in a trusted American Association for the Advancement of Science is collaborating with JSTOR to digitize , preserve and extend access to Science of Neurons and Astrocytes from Isolated Cells of the Adult Mammalian Central Nervous System, 255(5052), 1707–1710.he Adult Mammalian Central Nervous System Author ( s ): Brent A . Reynolds and Samuel We

9. Reynolds, B. A., & Weiss, S. (1992). Generation of neurons and astrocytes from isolated cells of the adult mammalian central nervous system. Science, 255(5052), 1707–1710. https://doi.org/10.1126/science.1553558

10. Nokia, M. S., Lensu, S., Ahtiainen, J. P., Johansson, P. P., Koch, L. G., Britton, S. L., & Kainulainen, H. (2016). Physical exercise increases adult hippocampal neurogenesis in male rats provided it is aerobic and sustained. The Journal of Physiology, 594(7), 1855–1873. doi:10.1113/jp271552

11. Somos capazes de criar novos neurônios em qualquer idade com um simples exercício (que está em suas mãos). Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/27/ciencia/1540643073_895649.html

Gabriel Nappi

Gabriel Nappi

Licenciado e Bacharel em Educação Física pela PUCPR, foi bolsista do PROUNI durante a Licenciatura com muito orgulho. Ganhador do Prêmio Marcelino Champagnat, por ter o melhor rendimento acadêmico da turma de Educação Física de 2010. Especialista em Personal Training e Pilates. Professor de Musculação no Santa Mônica Clube de Campo. Apaixonado por ciência, música, natureza e um sorriso aí. Facebook: www.facebook.com/gabnappi Inastagram: @gabnappi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate