fbpx

Evitando lesões nos esportes

Se você praticou algum tipo de esporte, como corrida, voleibol, natação, entre outros, provavelmente já deve ter sofrido algum tipo de lesão, devido a uma carga de treinamento muito alta ou exagerada. A ciência mostra que indivíduos que possuem particularidades como, altura excessiva, peso corporal mais elevado, fraqueza muscular, falta de flexibilidade, predisposição a doenças, e/ou anormalidades idiopáticas ou adquiridas na anatomia biomecânica das articulações, podem estar mais predispostos a lesões (1). Dessa forma, portanto, você já deve ter ouvido que se tivesse realizado exercícios de flexibilidade antes da atividade ou depois, poderia não ter sofrido uma lesão. Porém já mostramos aqui no site que isso não é verdade (Veja a matéria sobre Alongamento antes do Treino, clique AQUI). Mas então o que seria melhor para que possamos estar evitando lesões nos esportes?

Lesões no Esporte - Homem sentado com Lesão no joelho

A resposta para a diminuição de lesões nos esportes

No estudo de Lauersen et al. (2) (2013), foi realizada a comparação entre os trabalhos de Alongamento; Propriocepção; Treinamento de Força e; a junção dos 3 meios. Chegaram à conclusão de que o treinamento de força é superior que os outros meios de treinamento para se evitar lesões no esporte. Mesmo que se unam as 3 formas de treinamento, o treino de força chega reduzir a menos de 1/3 as lesões no esporte e mais da metade das lesões por excesso de treino. Mas isso não significa que você deva parar de realizar trabalho de flexibilidade, por exemplo.

Se o indivíduo não tem a flexibilidade adequada para a realização dos gestos do esporte que pratica, pode existir um agravante que com a execução de uma técnica e/ou postura inadequada do gesto motor, ocorra uma lesão. Isso significa que possuir o necessário para atender as demandas do esporte praticado é suficiente, não necessário todo atleta ser flexível como um ginasta por exemplo.

“Fui orientado a treinar menos…”

O que acontece também é que quando se sente uma dor que está evoluindo já para algum tipo de lesão a orientação é que se pare de treinar. Porém, de acordo com Gabbett (3) (2016), existe este paradoxo que cargas altas de treinamento podem aumentar o risco de lesões no esporte, mas que também suspender o treino, ou treinar menos, pode da mesma forma aumentar este risco. De acordo com o autor, enquanto existe esta relação entre cargas de treinamento altas e lesões, o problema não é no treinamento em si, mas está mais ligado com o treinamento inapropriado sendo prescrito.

Aumentos excessivos e muito rápidos nas cargas de treinamento são igualmente responsáveis por uma grande proporção de lesões nos tecidos moles. Entretanto, um treinamento fisicamente difícil e apropriado desenvolve qualidades físicas importantes, que protegem contra as lesões. O autor ainda aponta que o monitoramento das cargas de treinamento é imprescindível para que se consiga controlar a relação do estresse físico e recuperação, devido que uma recuperação inadequada é um dos fatores mais agravantes para que se adquira uma lesão. Por isso, desenvolver as habilidades e capacidades motoras de forma adequada e equilibrada dentro do seu esporte, diminui o risco de lesões, devido uma preparação física e técnica de maior qualidade.

E aí? Você anda tendo muitas lesões durante seu treinamento? Será que as cargas do seu treino estão sendo bem controladas e adequadas para que você alcance seu melhor e sem se machucar? SciTraining está aqui para te ajudar! Entre em contato via Facebook e/ou Instagram! Não deixe ninguém te enganar!

Referências

  1. Parkkari J, Kujala UM, Kannus P. Is it Possible to Prevent Sports Injuries ? Review of Controlled Clinical Trials and Recommendations for Future Work. Sport Med. 2001;31(14):985–95.
  2. Lauersen JB, Bertelsen DM, Andersen LB. The effectiveness of exercise interventions to prevent sports injuries: A systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials. Br J Sports Med. 2014;48(11):871–7.
  3. Gabbett TJ. The training-injury prevention paradox: should athletes be training smarter and harder? Br J Sports Med. 2016;1–9.

Gustavo Api

Gustavo Api

Licenciado e Bacharel em Educação Física pela Universidade Positivo. Especialista em Treinamento Desportivo pela Universidade Paulista. Especialista em Esporte de Alto Rendimento pelo Instituto Olímpico Brasileiro - Comitê Olímpico do Brasil. Atuando desde 2010 na área de Esporte e Fitness, atualmente como Preparador Físico no Santa Mônica Clube de Campo, atuou como treinador de Levantamento de Peso, aonde também participou como atleta amador de diversas competições a nível estadual. Seus temas preferidos são Treinamento de Força, Periodização e Monitoramento de Cargas no Esporte. Buscando sempre mais conhecimento, aprender nunca é demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate